E-commerce: por que devo ter um?

maxisite_blog_07042019

O e-commerce digitaliza dois processos importantíssimos pra uma empresa: venda e atendimento ao cliente. Sem dúvidas, seu peso estratégico na logística de um negócio é crucial.

As raízes embrionárias do e-commerce remontam a década de 70, mais especificamente 1979, quando um renomado executivo de TI criou uma forma de fazer compras online, através de uma televisão modificada (videotex). Esse modelo de e-commerce, por assim dizer, foi chamado de teleshopping. Mais tarde, o primeiro sistema online shopping B2B foi instalado (1981), embora o primeiro website tenha sido criado somente em 1995. Aliás, embora fosse um website, não era nada parecido com o que conhecemos por e-commerce nos dias de hoje.

Fazer compras pela internet foi uma coisa tão revolucionária que a primeira pessoa a testar o sistema, conhecida como Jane Snowball, foi entrevistada enquanto comprava. Foi só a partir daí que usuários do mundo todo enxergaram a inovação como uma possibilidade de fazer compras mais facilmente, claro, de suas próprias casas. A prova social nunca teve tanto poder, não é mesmo? A Amazon e eBay surgiram em 1995, duas gigantes que abriram portas para o comércio eletrônico.

Existem diferentes tipos de e-commerce: o e-commerce B2B e o e-commerce B2C, o e-commerce atacadista e o e-commerce varejista, o e-commerce de produtos físicos e o e-commerce de produtos eletrônicos.

O e-commerce B2B (business to business) é aquele que privilegia a relação de uma empresa pra outra empresa, ou seja, os produtos visam oferecer matéria-prima ou maquinários, por exemplo. Já o e-commerce B2C (business to client) é aquele utilizado por empresas que desejam vender seus produtos e/ou serviços para o consumidor final. O céu é o limite, porque não há limitações: roupas, acessórios, itens de papelaria, medicamentos, móveis, produtos do ramo alimentício; as possibilidades são inúmeras. O e-commerce atacadista vende produtos em grande quantidade; nessa categoria é sempre bom dar uma atenção especial para a logística de entrega. Se você enxerga o e-commerce atacadista como uma possibilidade no futuro, vale a pena pesquisar por parceiros confiáveis para o transporte. Já no e-commerce varejista a dinâmica é outra. Como se trabalha com produtos em pequenas quantidades, a preocupação deve ser a de informar o cliente durante a compra caso o produto desejado não tenha em estoque. Nesse sentido, é fundamental que haja uma boa relação entre a loja virtual e o controle de estoque. Isso evita que sejam efetuadas vendas que, mais tarde, não poderão ser atendidas ou entregues. Finalmente, o e-commerce de produtos físicos e o e-commerce de produtos eletrônicos. O primeiro não oferece nenhum mistério, mas o seria o de produtos eletrônicos? Essa categoria de e-commerce diz respeito a todo tipo de conteúdo e informação. Por exemplo: cursos a distância, e-books, softwares, games, entre outras coisas. Se você optar por esse tipo de e-commerce é importante atentar para a questão da pirataria!

Agora que você já conhece por alto os tipos de e-commerce existentes, que tal saber por que deve ter um?

Menor investimento: montar uma operação de e-commerce requer muito menos investimento do que uma loja física, que requer mão de obra e um ponto comercial relevante. A vantagem do e-commerce é justamente oferecer um “ponto comercial” disponível 24h por dia, 7x por semana, 365 dias por ano, além da possibilidade de uma equipe reduzida.

Experiência no varejo: se você já é comerciante tem uma vantagem competitiva de quem ainda não tem conhecimento das rotinas de uma loja: negociação com fornecedores, gerir fluxo de caixa, cuidar do estoque, entre outras coisas.

Alcance de marca: sua marca pode ser a lojinha do bairro atualmente, mas essa não será mais a realidade quando você investir em um e-commerce. Seus produtos e/ou serviços poderão ser comprados e adquiridos em qualquer lugar do Brasil, através de plataformas online de pagamento.

Escalabilidade: enquanto a loja física acaba tendo um limite de  vendas, porque existe um número máximo de clientes, a loja virtual oferece a capacidade de atender a centenas de pessoas por dia e na mesma hora. Pra que isso ocorra de forma efetiva, basta ajustar a logística para atender a esse volume. Simples assim!

Se você chegou até aqui, certamente você se interessa pelo assunto. Agora, a pergunta que não quer calar: como ter um e-commerce com um bom faturamento? Algumas estratégias como segmentação de clientes, marketing de conteúdo, ticket médio, qualidade e quantidade de produtos, produtos abandonados no carrinho e fidelização de clientes são cruciais nesse processo. Conheça o nosso trabalho: www.maxisite.net

Assine nossa newsletter:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>