Black Friday 2018: como se preparar?

maxisite_06112018

É evidente que a disputa pela atenção do consumidor só cresce, principalmente numa ocasião como a Black Friday. Focar nas redes sociais é uma forma de aumentar as chances de ser visto e, é claro, vender mais.

Segundo a Hello Research (2014) e Provokers (Julho/2018), em 2014 apenas 27% das pessoas tinham conhecimento da Black Friday. Atualmente, o número de pessoas chega a 99,5%. A mesma pesquisa levantou as principais barreiras entre os entrevistados que nunca compraram na Black Friday. Entre elas, 42% das pessoas disseram que nunca compraram porque não tinham dinheiro; 38% porque não confiavam nas ofertas ou nas lojas que fizeram a promoção; 30% disseram que as ofertas não valiam a pena. Isso nos mostra a importância não só dos preços divulgados, mas principalmente a preocupação que se deve ter com a imagem da marca. Transparecer credibilidade e confiabilidade não só nessa época, mas desde sempre é fundamental para a construção de uma marca sólida no mercado.

A Black Friday abre portas para as vendas em e-commerces, porque todos querem aproveitar bons preços e oportunidades de compras bacanas – pra si ou pra sua própria casa – com a justificativa de “eu mereço.” Muito embora a crise deixe os consumidores um pouco mais inseguros e racionais em relação ao consumo, é uma época em que as pessoas pesquisam sobre o que querem comprar. O que é muito pertinente pra quem divulga suas promoções e está sempre presente nas redes sociais.

Já falamos recentemente sobre a importância de conhecer a pessoa por trás das compras na sua loja, é esse o intuito do People Marketing . A pessoa por trás de cada interesse, curtida, comentário, clique, visita ao site, compra realizada ou compra abandonada no carrinho importa.

O mobile first é outro aspecto que chama atenção, 70% das buscas na Black Friday em 2017 foram feitas por smartphones ou tablets e 36,9% das compras também (Hello Research e Provokers). – Leia também: Mobile First: entenda a importância desse conceito.

Mas como se preparar? Usando todas as ferramentas ao seu alcance! O Instagram, por exemplo, é uma rede social muito poderosa no período da Black Friday. Ao longo deste ano lançou diversos recursos que integram o aplicativo e as lojas online, o que facilitou a forma do consumidor saber os preços sem ter que sair do stories ou do feed do Instagram da loja preferida. – Leia também: Instagram Stories: segredos do recurso para vender mais. Destacamos aqui o Instagram, mas nada impede que você faça ações nas outras redes sociais. Basta conhecer o seu público-alvo e pensar em estratégias efetivas pra que as vendas ocorram efetivamente.

Pensar em oferecer um diferencial também é importante diante de tanta concorrência. Lembra que falamos sobre isso no post 5 estratégias para vender mais na sua loja online?

O cross-selling é outra estratégia pertinente não só na Black Friday, mas durante todo o ano. A técnica consiste em oferecer produtos complementares aquele que o seu cliente comprou ou está disposto a comprar. –  Leia também: Cross-selling: 3 maneiras de usá-lo para vender mais.

Curtiu esse conteúdo? Confira em nosso site serviços que podem ajudar você a ter sucesso no seu negócio: www.maxisite.net

Fale com a nossa equipe pelo whatsapp: (24) 98839-6811

Desejamos boas vendas e boa sorte! ☘☘☘

5 ESTRATÉGIAS PARA VENDER MAIS NA SUA LOJA ONLINE

maxisite_BLOG_25102018

Já se perguntou alguma vez “o que estou fazendo de errado na minha loja?” Com certeza, você não está sozinho. Para que as coisas comecem a dar certo no seu negócio é importante ter uma visão geral do que realmente importa. A partir daí nasce a parte estratégica, ou seja, pensar em ações que possam trazer resultados.

A primeira impressão é a que fica faz todo o sentido em qualquer contexto, principalmente no de vendas. Por isso, investir não só no visual, mas também na responsividade da sua loja virtual é imprescindível. –  Leia também Site responsivo: por que preciso de um? Você pode, por exemplo, dedicar um espaço da sua loja somente aos produtos mais populares/mais vendidos, além de criar formas de tornar a visita do seu potencial cliente mais agradável.

Todo cliente gosta de se sentir especial, isso é um fato muitas vezes ignorado. Mas por que será que isso acontece? Existe uma falsa ideia de que quem realmente gosta da sua loja vai retornar e fazer outra compra sem que seja necessário algum tipo de esforço. No entanto, para que isso ocorra efetivamente é necessário alimentar constantemente o desejo dos seus clientes pelos seus produtos e/ou serviços. Uma das formas de fazer com que o seu cliente se sinta especial é personalizando a experiência dele. – Leia também Atendimento ou experiência: entenda a diferença.

Sabe quando você está comprando algum produto e aparece algo como “você também pode gostar de”, essa estratégia recebe o nome de cross-selling e costuma ser eficiente quando o assunto é vender mais. O cross-selling consiste em oferecer produtos complementares aquele que você comprou ou está disposto a comprar. Agora imagina que o seu cliente está fechando uma compra na sua loja online e vê outros produtos relacionados ou não com o que ele comprou, mas sobretudo produtos que ele vai gostar de ver. Isso é aliar o útil ao agradável e vender mais sem que haja aquela sensação de inconveniente.
– Leia também Cross-selling: 3 maneiras de usá-lo para vender mais.

Fazer remarketing é outra estratégia que vale a pena levar em consideração, em se tratando de uma ferramenta que identifica as pesquisas dos usuários na internet para  depois oferecer resultados em forma de anúncios. Existem basicamente 4 etapas em que podemos enquadrar os clientes no remarketing: a da descoberta, consideração, decisão e fidelização. Na primeira etapa, ele fica a par da necessidade ou desejo de adquirir algum produto e/ou – Leia também Remarketing: como usá-lo a favor do seu negócio.

Nem precisamos falar da necessidade de oferecer um diferencial, né? Vamos supor que sua loja esteja vendendo uma camisa por 80, e a loja concorrente por 70.  Você pode somar a essa camisa um bottom, como brinde. Dessa forma, mesmo que seu preço seja superior ao do concorrente, você atrai seus potenciais clientes muito mais facilmente. Isso acontece porque você oferece uma sensação de vantagem para o cliente, que mesmo vendo que o preço não é o mesmo, enxerga a compra na sua loja como um ganho a mais.

 

Curtiu esse conteúdo? Confira em nosso site serviços que podem ajudar você a ter sucesso no seu negócio: www.maxisite.net

People marketing: quem é a pessoa por trás das suas compras?

maxisite_BLOG_11102018

Sabe aqueles 4 p’s que você aprendeu, há muito tempo, quando pensava em estratégias de marketing para o seu negócio? Pois é, o tal do ‘preço, praça, produto e promoção’ perderam espaço! É claro que isso não ocorreu num estalo, mas se deu principalmente pela mudança na forma de nos comunicarmos com o nosso público-alvo.

Muitos segmentos ainda utilizam essa estratégia, ou seja, desenvolvem ou oferecem um bom produto, escolhem um bom preço, uma praça para distribuição, além de uma promoção irresistível. Isso se explica pela necessidade de gerar mais vendas, o que acaba justificando essa estratégia de massa em mercados, por exemplo. O problema é quando o P mais importante acaba sendo deixado de lado, o P de pessoa.

O People Marketing se preocupa com a pessoa por trás de cada interesse, curtida, comentário, clique, visita ao site, compra realizada ou compra abandonada no carrinho. Seu objetivo é permitir que você ofereça ao seu potencial cliente aquilo que ele realmente precisa, o que garante a conversão sem muito esforço. Uma vantagem dessa estratégia é não deixar a pessoa com a sensação de inconveniente, já que você escolherá o melhor momento e canal para contato, além da mensagem mais humanizada possível.

Agora você deve estar se perguntando, mas qual a diferença entre People Marketing e Remarketing? O Remarketing tem por objetivo apenas vender, logo não há uma preocupação do anúncio aparecer em todos os cantos para determinada pessoa. Claro que essa estratégia é bastante pertinente, dependendo dos seus objetivos. – Leia também Remarketing: como usá-lo a favor do seu negócio. Por outro lado, o People Marketing se preocupa com a identificação e necessidade de cada pessoa, a fim de um contato mais humanizado possível, até retê-la enquanto cliente. A jornada do People Marketing seria, então, a de identificação (visitantes) -> engajamento (pessoas) -> conversão (oportunidades) -> retenção (clientes).

Com um consumidor cada vez mais exigente e questionador é necessário que haja uma forte identificação com a sua marca, privilegiando o relacionamento entre empresa e potencial e cliente e só então depois haja a conversão (venda).

 

Curtiu esse conteúdo? Confira em nosso site serviços que podem ajudar você a ter sucesso no seu negócio: www.maxisite.net

Inbound marketing x Outbound marketing

maxisite_11092018

Quando falamos em inbound e outbound marketing estamos falando de duas estratégias ou modelos completamente diferentes, será que você já sabe que diferenças são essas e como elas repercutem no seu negócio?

A primeira coisa que precisamos desmistificar é a ideia de que há um modelo perfeito. Ambos podem ser eficazes, dependendo das suas necessidades e objetivos. Enquanto no Inbound Marketing a atenção é voltada para o cliente de forma espontânea e orgânica, no Outbound Marketing temos uma abordagem bem mais agressiva, movimentada principalmente pelas vendas.

A estratégia no Inbound Marketing é movida pela ideia de que é preciso nutrir o público-alvo, com conteúdos relevantes, gerando tráfego e leads, a fim de manter essas pessoas engajadas para que elas se tornem clientes. Não é nenhuma novidade que uma das ferramentas mais usadas no Inbound Marketing é o SEO. Afinal, você precisa ter um bom posicionamento nos mecanismos de busca a partir das principais palavras-chave relacionadas ao seu negócio.

Mas e na conversão? Landing pages podem ser uma excelente opção na captação de leads e conversão em clientes, por exemplo. Outros exemplos que podem ser usados no funil de vendas são: criação de conteúdos para blog e google adwords para atração de tráfego; criação de landing pages e uso de call to action para conversão desse tráfego em leads e, finalmente, marketing de conteúdo nas redes sociais para converter leads em clientes. E tem mais, com o Inbound Marketing você gasta bem menos do que no Outbound Marketing, já vimos o porquê – atração orgânica.

Do mesmo modo que a palavra cativar diz muito a respeito do Inbound Marketing, a expressão ir direto ao ponto diz muito sobre o Outbound Marketing. Embora muitas empresas prefiram o Inbound Marketing, ainda há empresas que utilizam o Outbound Marketing. Nesse modelo é possível montar um banco de dados com informações pertinentes para o departamento comercial sobre os clientes, no entanto o nível de rejeição é bem grande – o telemarketing é um exemplo.

Com um perfil de consumidor cada vez mais exigente e questionador, uma ferramenta poderosa como as redes sociais,  que facilita e viabiliza o relacionamento entre empresa e consumidor com um baixo custo, o Inbound Marketing é uma estratégia eficaz para todos os tipos de segmentos de mercado.

Conheça os nossos serviços: www.maxisite.net

Buyer Persona: como ela pode ajudar a sua empresa

maxisite_26072018_buyerpersona

Quando desenvolvemos estratégias de marketing digital eficientes é necessário ter conhecimento de qual é o público com quem estamos nos comunicando. Fato é que com as mudanças e as transformações do marketing digital há uma preocupação muito maior com o consumidor, que é o protagonista de tudo pensado internamente (estratégias de criação, desenvolvimento, relacionamento e vendas).

Com a finalidade de ter à disposição das empresas um alicerce que pudesse garantir estratégias de marketing alinhadas com seu público-alvo foram criadas as buyer personas. Por isso, o termo pode ser entendido como “cliente ideal”. A partir da criação desse perfil ficcional de “cliente ideal” é possível identificar e compreender as necessidades do público-alvo.

Agora que você sabe que a buyer persona é um personagem que representa o seu cliente ideal, como pode usá-la a favor da sua empresa? Criando as suas próprias buyer personas! Pense em quem é o seu cliente, qual a sua faixa etária, onde ele mora, o que ele gosta de fazer na internet, o que ele faz no seu tempo livre, que tipo de música gosta de ouvir, são infinitas as possibilidades de perguntas. No quesito de consumo, por exemplo, onde o seu cliente ideal costuma fazer a maior parte das compras: na loja física ou online? Ele realiza pesquisas antes de adquirir algum serviço e/ou produto? – Leia também  ZMOT: o marco zero da decisão de compra – Com qual frequência ele realiza compras online? Esses são só alguns exemplos.

A criação de uma buyer persona pode parecer simples, mas a grande maioria das empresas têm dificuldades para a construção do seu cliente ideal ou nem sabe a grandiosidade e importância da buyer persona para a organização do negócio. Por isso, contar com uma empresa especializada em marketing digital é imprescindível para obter sucesso na criação de estratégias eficientes.

 

Curtiu esse post? Conheça os nossos serviços: www.maxisite.net