Tudo o que você precisa saber sobre Marketing Sensorial

sensorial

“Não somos impulsionados pela realidade, mas sim por nossa percepção da realidade.” {Anthony Robbins}

Visão, audição, tato, paladar e olfato são os nossos primeiros receptores de sensações e criadores de memórias. Nesse contexto, o Marketing Sensorial é a área do marketing que diz respeito a todas as percepções sensoriais que envolvem uma marca: os sentidos são usados para estimular a venda. A ideia de trabalhar os sentidos surgiu na Inglaterra, mas já se propagou por todo o mundo.

Alguns​ ​bons​ ​exemplos​ ​desse​ ​tipo​ ​de​ ​estratégia

“Quando vamos nos alimentar, comemos primeiro com os olhos”: quem nunca ouviu essa frase? Pois é, está aí um forte exemplo quando o assunto é fotografia de produto, mais especificamente de comida. Por outro lado, também há uma atração imediata pelo cheiro, certo? Exemplo disso é quando alguém está na cozinha fazendo um bolo, por exemplo, e conseguimos identificar o cheiro, na maioria das vezes, desejando comer um pedaço generoso; o mesmo acontece nos restaurantes.

Os seres humanos têm cerca de cinco milhões de células receptoras olfativas, um cão de caça tem 100 milhões, e um nariz humano treinado que pode distinguir até cerca de 10.000 odores. Embora o sentido humano do olfato seja muito menos desenvolvido do que nos animais, o cheiro pode evocar extraordinariamente intensas emoções.

Segundo Randall Reed, neurocientista da Universidade John Hopkins, com um simples aroma, diversos sentimentos podem vir a tona. Isso acontece devido ao olfato estar ligado ao sistema límbico do cérebro, área associada à memória e as emoções. Outra pesquisa, realizada por Simon Harrop, CEO da Brand Sense, nos mostra que um cheiro positivo tem um maior impacto emocional sobre o nosso humor do que um som, e pode vir a ser uma excelente ferramenta para converter clientes, além de associar o produto e/ou serviço à uma ideia positiva.

O Marketing Sensorial cria identidade para as marcas. Sapatos não são comestíveis, mas quem disse que uma loja não pode ter um cheiro de chiclete, como faz a Melissa?

Quer um outro exemplo? Pense numa loja de móveis. O que buscamos, além da beleza e estilo? Conforto! Por isso, a loja de móveis não deixa uma sala montada à toa. Ainda que o objetivo do consumidor seja apenas encontrar uma poltrona para completar a disposição da sua sala de estar e ela não seja muito confortável, apesar de bonita, é bem provável que haja um tapete peludinho por perto capaz de disfarçar essa situação. Pense no sentido do tato da seguinte maneira: os clientes precisam tocar os produtos e experimentá-los, mas não é só isso. O tecido que você está usando nos assentos dos provadores, em almofadas, cortinas e demais itens, onde o cliente possa ter acesso, também influencia na percepção geral do ambiente. Olha aí: visão e tato.

O​ ​que​ ​o​ ​Marketing​ ​Sensorial​ ​pode​ ​fazer​ ​pela​ ​sua​ ​empresa

Usar marketing sensorial é perceber no seu produto e serviço inúmeras oportunidades para envolver involuntariamente seu público, seja lá com qual sentido for. Para implantá-lo na sua empresa é importante seguir três dicas básicas: os valores da marca, o seu mix de produtos (ou serviços) e a preferência do seu público.

Conheça um pouco mais sobre a Maxisite, acesse o nosso site: www.maxisite.net

Assine nossa newsletter:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>