10 características para o empreendedor focar em seu negócio digital

Há alguns anos, as empresas.com destacam-se no mercado. Com faturamentos enormes elas têm chamado a atenção de investidores por todo o mundo. Com modelos de negócios cada vez mais inovadores.

Mas, no Brasil, como está o mercado digital e como estão os empreendedores? Sobre a penetração do uso da internet, de acordo com a Ipsos Marplan, o Brasil mostra que tem público para investidores online com uma penetração de usuários de internet com 41% em Salvador, 39% em São Paulo e 36% em Porto Alegre, de toda a população. São 62 milhões de usuários, de acordo com a Ibope Nielsen, sendo o sétimo melhor mercado mundial de internet. E de acordo com o Deloitte, o internauta brasileiro passa três vezes mais tempo no computador do que na televisão.

Com um mercado tão receptivo assim, qual o motivo de não termos empreendedores no meio digital no Brasil? Talvez por questões de investimentos, já que estes empreendedores são jovens, não possuem capital suficiente para fazer um investimento, ou até mesmo conseguir o apoio de um Anjo Investidor. Mas, além das questões de financiamento, há também as características de empreendedorismo, que vão além de uma boa idéia. Segue abaixo as 10 características que todo empreendedor deve ter para fazer o seu negócio digital sob orientação e metodologia do SEBRAE.

Busca de oportunidade e iniciativa: Manter-se informado sobre o mercado e sobre novas tecnologias é fundamental para empreender. Mais importante do que isso, é antecipar-se em idéias e criar negócios inovadores.

Persistência: Empreender não é fácil, dar a “cara à tapa” ao mercado e ser o primeiro a levar dói e, apesar do destaque, há a incredulidade dos investidores e clientes, principalmente por que muitos tem receio do que é novo. O empreendedor digital mais do que qualquer um deve ser persistente.

Correr riscos calculados: O empreendedor que não se arrisca não é empreendedor. Sendo um negócio inovador, ele por si só é arriscado. Mais importante do que simplesmente correr risco, é calculá-los, saber até onde é o limite e o quanto o mercado está preparado para a inovação.

Exigência de qualidade e eficiência: Manter padrões, atender bem os clientes e eficiência é fundamental, o público do mercado digital é bem mais crítico e é mais fácil essas críticas se propagarem.

Comprometimento: Por mais que os empreendedores digitais sejam jovens, negócio não é brincadeira, mesmo tendo um ar de divertimento, e muitas vezes pertencendo ao mercado de entretenimento, um negócio é algo que deve ser encarado com maturidade e seriedade.

Busca de informações: Seja no planejamento inicial ou para manter o negócio, no mercado digital as informações valem mais do que nos demais mercados. Uma nova metodologia, tendência ou tecnologia pode mudar totalmente o mercado. Talvez por isso tantos serviços sejam substituídos por outros na internet.

Estabelecimento de metas: Uma tendência da Geração Y é não valorizar tanto a organização e gestão como as gerações anteriores. Porém estabelecer metas de longo e curto prazos são fundamentais e estimulantes para o seu negócio.

Planejamento e monitoramento sistemáticos: Outro fator que a geração Y possui dificuldade. Desenvolver um bom planejamento, minimizar erros, verificar operações que estão falhando, é importante não somente no início, mas também durante todo o processo.

Persuasão e rede de contatos: Está aí algo que a internet favorece muito, pois no mercado digital é tudo muito expansivo, facilmente divulgado e interativo. Basta ter um serviço de qualidade e uma boa estratégia, aliados com um bom relacionamento com parceiros, colaboradores e clientes, a rede só tende a crescer.

Independência e autoconfiança: É natural da Geração Y ser autoconfiante, porém eles não são muito independentes. Mas é interessante buscar autonomia no mercado e em seu negócio para poder tomar decisões quando for necessário.

Estas são as dez características do empreendedor, claro que não existe empreendedor com todas, uns possuem mais uma característica do que outras. Porém é essencial focar nas que são menos desenvolvidas, para conseguir se superar e fazer o seu empreendimento se destacar no mercado.

Fonte : Mídia Boom

Por que sua empresa precisa de uma estratégia?


Primeiro, o que é estratégia?

- Estratégia é mais do que um conjunto de ações;

- Estratégia trata das condições únicas a que uma empresa quer chegar;

- Estratégia trata de coisas concretas;

- Estratégia é diferente de visão, missão, metas e ações;

- Estratégia é escolher o que não fazer (trade off).

Já dizia Michael Porter: estratégia é um caminho a ser seguido. Se o caminho escolhido é o melhor, somente o tempo vai dizer. De fato, não existe estratégia certa ou errada. Existe, sim, estratégia que deu certo ou estratégia que deu errado.

Para que serve a estratégia?

Abrir uma empresa é fácil. Manter uma empresa e conseguir bons resultados, é um desafio. Empreendedores de todas as idades competem num mercado que privilegia, basicamente, a persistência, o planejamento e as vantagens competitivas duradouras.

Estratégia, aliada ao bom planejamento, serve para posicionar corretamente uma empresa no mercado e definir as principais diretrizes do negócio. Segundo Peter Drucker e Michael Porter, uma boa estratégia deve responder a quatro questões fundamentais:

- Em que negócio você está? (Segmento)

- O que você realmente vende? (Produto ou Serviço)

- Qual é o seu público-alvo (Foco)

- Qual é o seu diferencial competitivo? (Vantagem Competitiva)

Assim sendo, uma boa estratégia de mercado resume-se em: (1) reforçar os seus pontos fortes, a ponto torná-los uma vantagem competitiva, (2) reduzir os seus pontos fracos, a fim de reduzir a vulnerabilidade do seu negócio, (3) aproveitar as boas oportunidades para se tornar ainda mais rentável e, finalmente, (4) precaver-se contra as ameaças que surgem todos os dias.

Por que sua empresa precisa de uma boa estratégia?

Sua empresa precisa de uma boa estratégia para:

Criar um modelo de negócio diferenciado: não basta ser mais um na multidão; os clientes estão cada vez mais exigentes, querendo mais por menos;

Garantir o retorno sobre o investimento: empresas são criadas para enriquecer os donos, gerar empregos e beneficiar a sociedade por meio de impostos.

Adotar um posicionamento estratégico correto: quanto mais claro este posicionamento, mais rápido se dará a percepção do cliente; imagine-se tentando vender equipamentos eletrônicos, frutas, remédios e roupas íntimas, tudo no mesmo lugar; nesse caso, quem é o seu cliente? O que você realmente vende? Quem é o seu público-alvo?

Atrair bons investidores e/ou agentes de financiamento: todo negócio precisa de investimentos; olhe para o negócio como se fosse um potencial investidor e pergunte a si mesmo: eu investiria nesse negócio?

Tomar decisões melhores: quando você conhece seus pontos fortes e reconhece suas fraquezas, tem mais embasamento para tomar decisões coerentes com a realidade do seu negócio.

Garantir a sustentabilidade do negócio: prosperar significa criar riqueza suficiente para garantir a sustentabilidade do negócio e atender a diversos interesses, além dos seus.

E lembre-se: “Arrisque-se! O homem que vai mais longe é geralmente aquele que está disposto a fazer e a ousar. O barco da segurança nunca vai muito além da margem.” Dale Carnegie

Fonte: Faça Diferente

A grande diferença entre ser bom e ser ótimo

Aqui vai um pequeno resumo dos principais pontos para a transformação de uma empresa:

- O bom é inimigo do ótimo. A maioria das empresas nunca se torna excelente, pois antes torna-se “boa o bastante”. É importante definir bem a estratégia. Concentrar-se naquilo que “se deve fazer”, (mas os dados indicam que as empresas excelentes também estão atentas ao que “não fazer”).

- A empresa precisa de líderes nível 5. Esses líderes são o oposto do egocêntrico. Eles combinam a determinação profissional com a humildade pessoal. Eles se mantêm focados em fazer a coisa certa para o bem da empresa, no longo prazo, e preparam os seus sucessores para um sucesso ainda maior que o deles, e não para o fracasso.

- As pessoas certas nos lugares certos. Em vez de começar com uma nova visão (para onde o ônibus está indo), primeiro colocar no ônibus as pessoas certas, retirar as erradas, colocar as certas nos lugares certos e só então decidir para onde o ônibus vai. “As pessoas não são o seu melhor ativo. As pessoas certas são!”

- Enfrente os fatos brutais (mas mantenha a fé). Não ignore a realidade, mas é preciso manter a fé em que vai dar certo no final. Somente com informações precisas você poderá alcançar o sucesso.

- Conceito porco-espinho. Significa ter um conceito simples e muito claro de que o seu negócio é – por exemplo: é lucrativo, é algo por que você é apaixonado ou que você faz melhor do que ninguém.

- A tecnologia é um acelerador. E não um agente de mudança. Boas empresas a utilizam para melhorar sua performance, mas ela não vai salvar uma empresa medíocre.

Por que a excelência?

Porque não é muito mais difícil ser ótimo do que bom. É preciso ir somente um pouco além. E, se não temos motivação para sermos ótimos no que fazemos atualmente, será que não é hora de considerar alguma outra coisa que nos motive à excelência? Vale a pena refletir!

Fonte: Mulheres Empreendedoras