Qualidades pessoais podem ser o seu ingresso em uma empresa

Personalidade, confiança, segurança no que está fazendo, iniciativa e vontade de aprender podem impressionar mais do que um currículo cheio.


Claro que ter um longo histórico profissional e boas referências ajudam na hora de conseguir um emprego, mas as empresas passaram a valorizar também as qualidades pessoais do possível funcionário.

Disposição para aprender, confiança e personalidade extrovertida são três características de profissionais que os gestores procuram naqueles que se candidatam às suas vagas. Veja a seguir três dicas a respeito dessas qualidades que estão sendo exigidas pelo mercado de trabalho:

1. Você não precisa ser especialista em algo para ser bem-sucedido

A vontade de aprender e o interesse podem ser os seus melhores amigos na hora de uma entrevista de emprego. O entusiasmo, vontade de trabalhar e humildade para aprender com os outros também são pontos ao seu favor.

2. A experiência apenas não é uma indicadora de sucesso

Não adianta ser experiente e não saber como se expressar ou ficar muito tímido na hora de passar os seus conhecimentos. É preciso destacar-se e estar sempre preparado para agir em situações que podem te deixar constrangidos, como falar em público.

3. Qualidades podem ser desenvolvidas até certo ponto

Você pode não ser a pessoa mais extrovertida, mas pode praticar até conseguir realizar uma tarefa. Nada é impossível. Basta ter a disposição para se esforçar e dar o seu melhor na empresa.

Fonte : Universia

Estudo mostra que 88% das empresas brasileiras estão nas redes sociais

Um estudo publicado nesta quarta (16) mostrou que 88% das empresas brasileiras estão nas rede sociais. A Burson-Marsteller realizou o estudo chamado de Latin America Social Media Check-up, em que examina como as 25 maiores empresas do Brasil e de outros países da América Latina utilizam as plataformas das redes sociais mais populares: o Twitter, o Facebook, o YouTube, blogs e o Google Plus.

O estudo descobriu que 88% das companhias brasileiras utilizam pelo menos uma das mídias sociais analisadas como plataforma de comunicação, o que representa um aumento de 25 pontos percentuais desde 2010. O índice está acima da média da América Latina, de 65%, e global, de 87%. O Twitter se destacou como a plataforma que mais cresceu, sendo utilizado por 53% das empresas analisadas na América Latina, contra 50% do Facebook. Desde 2010, a média de seguidores por perfil corporativo analisado saltou de 19.023 para 66.958.

“O estudo mostra não só o aumento da presença das empresas nas redes sociais, mais um crescente engajamento das organizações”, afirma Ramiro Prudencio, CEO da Burson-Marsteller para a America Latina. “Mais da metade das organizações conversa com seus seguidores através das respostas (@) e retweets. O número de “Likes” por página no Facebook cresceu exponencialmente. Hoje, as empresas não divulgam conteúdo, mas estabelecem diálogo com suas audiências?.

Foram analisadas 25 maiores empresas em faturamento na Argentina, Colombia, Chile, Mexico, Peru, Porto Rico, Uruguai e Venezuela, além do Brasil.

Fonte: Mundo Bit