10 características para o empreendedor focar em seu negócio digital

Há alguns anos, as empresas.com destacam-se no mercado. Com faturamentos enormes elas têm chamado a atenção de investidores por todo o mundo. Com modelos de negócios cada vez mais inovadores.

Mas, no Brasil, como está o mercado digital e como estão os empreendedores? Sobre a penetração do uso da internet, de acordo com a Ipsos Marplan, o Brasil mostra que tem público para investidores online com uma penetração de usuários de internet com 41% em Salvador, 39% em São Paulo e 36% em Porto Alegre, de toda a população. São 62 milhões de usuários, de acordo com a Ibope Nielsen, sendo o sétimo melhor mercado mundial de internet. E de acordo com o Deloitte, o internauta brasileiro passa três vezes mais tempo no computador do que na televisão.

Com um mercado tão receptivo assim, qual o motivo de não termos empreendedores no meio digital no Brasil? Talvez por questões de investimentos, já que estes empreendedores são jovens, não possuem capital suficiente para fazer um investimento, ou até mesmo conseguir o apoio de um Anjo Investidor. Mas, além das questões de financiamento, há também as características de empreendedorismo, que vão além de uma boa idéia. Segue abaixo as 10 características que todo empreendedor deve ter para fazer o seu negócio digital sob orientação e metodologia do SEBRAE.

Busca de oportunidade e iniciativa: Manter-se informado sobre o mercado e sobre novas tecnologias é fundamental para empreender. Mais importante do que isso, é antecipar-se em idéias e criar negócios inovadores.

Persistência: Empreender não é fácil, dar a “cara à tapa” ao mercado e ser o primeiro a levar dói e, apesar do destaque, há a incredulidade dos investidores e clientes, principalmente por que muitos tem receio do que é novo. O empreendedor digital mais do que qualquer um deve ser persistente.

Correr riscos calculados: O empreendedor que não se arrisca não é empreendedor. Sendo um negócio inovador, ele por si só é arriscado. Mais importante do que simplesmente correr risco, é calculá-los, saber até onde é o limite e o quanto o mercado está preparado para a inovação.

Exigência de qualidade e eficiência: Manter padrões, atender bem os clientes e eficiência é fundamental, o público do mercado digital é bem mais crítico e é mais fácil essas críticas se propagarem.

Comprometimento: Por mais que os empreendedores digitais sejam jovens, negócio não é brincadeira, mesmo tendo um ar de divertimento, e muitas vezes pertencendo ao mercado de entretenimento, um negócio é algo que deve ser encarado com maturidade e seriedade.

Busca de informações: Seja no planejamento inicial ou para manter o negócio, no mercado digital as informações valem mais do que nos demais mercados. Uma nova metodologia, tendência ou tecnologia pode mudar totalmente o mercado. Talvez por isso tantos serviços sejam substituídos por outros na internet.

Estabelecimento de metas: Uma tendência da Geração Y é não valorizar tanto a organização e gestão como as gerações anteriores. Porém estabelecer metas de longo e curto prazos são fundamentais e estimulantes para o seu negócio.

Planejamento e monitoramento sistemáticos: Outro fator que a geração Y possui dificuldade. Desenvolver um bom planejamento, minimizar erros, verificar operações que estão falhando, é importante não somente no início, mas também durante todo o processo.

Persuasão e rede de contatos: Está aí algo que a internet favorece muito, pois no mercado digital é tudo muito expansivo, facilmente divulgado e interativo. Basta ter um serviço de qualidade e uma boa estratégia, aliados com um bom relacionamento com parceiros, colaboradores e clientes, a rede só tende a crescer.

Independência e autoconfiança: É natural da Geração Y ser autoconfiante, porém eles não são muito independentes. Mas é interessante buscar autonomia no mercado e em seu negócio para poder tomar decisões quando for necessário.

Estas são as dez características do empreendedor, claro que não existe empreendedor com todas, uns possuem mais uma característica do que outras. Porém é essencial focar nas que são menos desenvolvidas, para conseguir se superar e fazer o seu empreendimento se destacar no mercado.

Fonte : Mídia Boom

4 passos para decidir – de vez – abrir seu negócio

Vamos combinar que tomar a decisão de deixar um emprego bem-sucedido para empreender não é exatamente fácil, especialmente para quem já passou dos 30 anos, tem dívidas para pagar todo mês e nunca teve um negócio antes. São muitas variáveis a pensar e levar em conta, certo? Além de tudo, é preciso dar um nó naquele frio na barriga e encarar a realidade. Se você está nessa situação, quatro passos relativamente simples podem ajudá-lo (a) a tomar essa importante decisão. As dicas foram dadas pelo professor Hao Zhao, do Rensselaer Polytechnic Institute, à revista Entrepreneur.


1. Decida se você está realmente apaixonado por empreender - O professor Zhao enfatiza que empreender não é para qualquer um. Especialmente em momentos como agora, em que ter um negócio é um tema que está em alta, é preciso redobrar o cuidado ao olhar para o empreendedorismo como uma carreira extremamente atraente, cheia de pontos positivos. Zhao ressalta que o empreendedor precisa de muita automotivação e força de espírito. É preciso ser honesto ao responder a si mesmo se você é realmente uma pessoa persistente e preparada para enfrentar dificuldades, deixando a zona de conforto que vive atualmente.

2. Estude profundamente o mercado - Antes de lançar uma empresa, identifique quem compete pelo mesmo mercado, conheça seus consumidores e encontre outros empreendedores que possam inspirá-lo (a). “O sucesso exige conhecimento sobre o produto e o mercado, assim como cuidado no planejamento e na execução”, diz o professor Zhao. Uma opção é lançar seu negócio antes de deixar o emprego. Quando ele estiver mais robusto, você poderá mergulha de cabeça.

3. Crie uma situação de segurança – Se você está realmente levando a sério a ideia de abrir o negócio, comece a guardar o dinheiro necessário para fazer isso com segurança. Uma ideia pode ser economizar o equivalente a alguns meses de salário (pelo menos dois), para que você possa conter sua ansiedade antes do lançamento do negócio. Corte despesas desnecessárias e use uma boa parte do seu tempo livre para montar um plano de negócios, estudar a concorrência, criar produtos ou soluções.

4. Recorra à ajuda da família e dos amigos - O apoio das pessoas mais próximas a você será fundamental enquanto você estiver se preparando para o novo negócio. Elas podem, inclusive, ajudar a identificar suas forças e fraquezas, seus talentos e os pontos a melhorar. Muita gente tem dificuldade de identificar seus talentos naturais – uma tarefa que pode ser feita com o apoio de pessoas nas quais você realmente confia.


Lembre-se: “As oportunidades normalmente se apresentam disfarçadas de trabalho árduo e é por isso que muitos não as reconhecem.” - Ann Landers


Fonte: Revista PEGN