6 dicas para fisgar o cliente pelo conteúdo

Com certeza você já ouviu aquela máxima de que a propaganda é a alma do negócio. Realmente, investir em marketing é importante, mas não é o único meio de promover  o seu startup. Os sites institucionais e as mídias sociais podem (e devem) ser fortes aliados na hora de colocar o negócio em evidência. Esses espaços servem não só para propaganda, mas também para gerar conteúdo útil para os clientes e posicionar a empresa como fonte de referência.

“O principal é que a empresa produza um conteúdo educativo dentro da sua área da atuação. Há sempre um número muito maior de pessoas procurando por assuntos em torno de um determinado ‘problema’ do que procurando por uma solução”, diz Eric Santos, presidente da Resultado Digital, empresa com foco no marketing digital.

Se sua startup oferece um software de finanças, por exemplo, o caminho é dar dicas financeiras para empresas – em vez de ficar falando apenas do seu próprio produto.

Muitas vezes o visitante nem sabe exatamente do que está precisando e quer apenas aprender sobre algo mais amplo. Durante uma pesquisa, ele pode acabar caindo na página da sua empresa e se converter em cliente. Santos dá algumas dicas para utilizar essa estratégia a favor do seu negócio:

Estude o perfil do seu público-alvo

Entenda que tipo de informação o seu potencial cliente busca. “Os textos devem ser dirigidos para esse público. Evite que eles sejam muito técnicos”, afirma Santos.

Crie um blog para a empresa

Na dúvida, simplifique. “A melhor plataforma para produção contínua de conteúdo é o blog, por uma série de fatores: é fácil de atualizar, é otimizado para o Google e tem uma dinâmica conhecida na internet”, diz o especialista.

Seja um banco de referências de estudos e pesquisas

O próximo passo é gerar o conteúdo de fato. Aproveite os conhecimentos do seu time para gerar textos em blogs, e-books ou webinars (seminários via internet). Amarre tudo em boas landing pages.

Não esqueça que você quer que o leitor se torne seu cliente

Para trazer resultados, o site da empresa precisa ser voltado à conversão. Junto com o conteúdo útil, é importante incluir “calls to action” (chamadas à ação) para que o leitor se cadastre ou forneça dados que permitam transformar sua visita em um lead.

Tenha presença relevante e ativa também nas mídias sociais

A melhor maneira de propagar o conteúdo que você vai gerar é por meio das redes sociais. Direcione os esforços para onde está o maior volume de usuários. “Esqueça as redes da moda até que elas fiquem grandes o suficiente. Muitas delas nunca chegarão lá”, diz Santos.

Fonte: PEGN

10 dicas para atender bem os clientes difíceis

Reza o mantra da boa gestão que o cliente sempre tem razão. Só que nem sempre é fácil lidar com ele, especialmente no momento em que está frustrado com a empresa. Sem cultivar uma boa relação com seu público, uma startup tem poucas chances de ir longe. Por isso, é preciso aprender a lidar até mesmo com o consumidor mais exaltado.

Um bom serviço de atendimento ao cliente é aquele que sabe desarmar os insatisfeitos, solucionar seus problemas e, assim, fazer com que voltem ao site ou à loja da empresa.

Não é uma tarefa fácil, por isso Mike Effle, CEO da Vendio (EUA), especializada em soluções para comércio eletrônico, enumera, em um artigo publicado no site Business News Daily, dez dicas para transformar a insatisfação em uma oportunidade de melhorar a operação e fidelizar os clientes.

1 – Acima de tudo, ouça
Não interrompa o cliente enquanto ele está reclamando, muito menos discuta com ele. Deixe-o falar mesmo que ele esteja enganado ou que você saiba o que ele dirá a seguir. Enquanto escuta, aproveite para entrar em sintonia com o consumidor.

2 – Pratique a empatia
Coloque-se no lugar de quem está reclamando e demonstre que você entende sua situação – isso acalmará os ânimos. Se o atendente der sinais verbais de que concorda com o cliente, ele se sentirá mais compreendido.

3 – Baixe o tom de voz
Se o cliente levantar a voz, comece a falar mais devagar e em um tom mais baixo. Essa atitude se refletirá nele e o ajudará a se acalmar. Quando o atendente aborda a situação com calma e clareza, a raiva geralmente se dissipa.

4 – Finja que estão olhando
Faça de conta que não está falando com uma pessoa apenas, e sim com uma plateia. Essa mudança de perspectiva serve como um amortecedor emocional para clientes verbalmente abusivos – e permite pensar com clareza antes de responder.

5 – Saiba quando desistir
Se perceber que a conversa vai levar horas e render uma bela dor de cabeça ou menções negativas à empresa, desista. É melhor ceder e favorecer o consumidor. Assim, o atendente ganhará tempo para dedicar aos demais clientes que esperam atendimento.

6 – Não se enerve
Respire fundo se o cliente baixar o nível e desrespeitar o interlocutor. Continue falando calmamente, como se não estivesse sendo ofendido. Responder no mesmo tom não resolverá o problema e levará a discussão a uma escalada desagradável.

7 – Nunca leva para o pessoal
Mantenha o assunto discutido em mente e nunca leve críticas para o lado pessoal. Se o cliente fizer isso, manobre a conversa de volta ao tema, explique como pode resolver a situação e ignore comentários pessoais.

8 – Seja humano
Todo mundo tem dias ruins: o cliente pode estar mal humorado porque brigou com alguém querido, ficou parado no trânsito ou está tendo um dia azarado. Tente melhorar a situação adotando um tom de voz calmo e agradável.

9 – Cumpra compromissos
Se prometeu ligar de volta, ligue – mesmo se ainda não tiver uma resposta. Dessa maneira, o consumidor saberá que a empresa não está jogando o problema para debaixo do tapete, e sim analisando sua reclamação.

10 – Explique o próximo passo
Ao final da ligação, esclareça ao cliente o que ele deve esperar dali para a frente – e cumpra o que prometeu. Registre a chamada telefônica para que o atendente possa estar preparado para a próxima interação com o cliente insatisfeito.

Fonte:  Papo de Empreendedor